Depois do Manobras e do Locomotiva, o Centro Histórico do Porto volta a ser o território de intervenção e inspiração para um novo programa de dinamização cultural promovido pela PortoLazer.
O projeto terá a luz como principal ferramenta de exploração, revelação e transformação do património. Venham espreitá-lo, contemplá-lo sob um novo prisma, um novo olhar, uma nova luz. Venham ver este novo Porto que se alumia.

Depois do Manobras e do Locomotiva, o Centro Histórico do Porto volta a ser o território de intervenção e inspiração para um novo programa de dinamização cultural promovido pela PortoLazer.
O projeto terá a luz como principal ferramenta de exploração, revelação e transformação do património. Venham espreitá-lo, contemplá-lo sob um novo prisma, um novo olhar, uma nova luz. Venham ver este novo Porto que se alumia.

ROTEIRO

Instalação 1  Largo dos Lóios

1-start

START

Autoria: Diogo Aguiar Studio

Start explora a escala urbana e novos enquadramentos sobre o edificado do Largo dos Lóios. É uma peça simultaneamente abstrata e figurativa e a sua formalização resulta da subdivisão geométrica de um icosaedro em vinte partes iguais. No período diurno, Start tira partido do desenho em movimento das sombras projetadas pelos doze braços intersectados pela luz solar e, durante a noite, recorre à luz artificial, branca e estática, para representar uma paisagem congelada, fractal.

2-eclipse

ECLIPSE

Autoria: FAHR 021.3

Eclipse assume-se como um objeto estranho que interfere com a leitura espacial do Largo Amor de Perdição. A forma de justaposição de tubulares desta peça permite alcançar várias perspetivas sobre a luz através da esfera que apresenta e da textura que a compõe, configurando assim uma nova experiência de espaço público. Durante o dia, Eclipse tira partido da luz natural, e no período noturno recorre à luz difusa, artificial, que pauta a cidade.

Instalação 3 Passeio das Virtudes

3-gerador

GERADOR DE COMUNIDADE

Autoria: Oficina Galo 

A instalação performativa pretende criar um espaço lúdico que promova a interação entre o público, fazendo-o ultrapassar a barreira de espetador. O objetivo comum, plenamente inútil, é dar luz a um pálido lampião que mais se ilumina quanto maior for o número e a intensidade das pedaladas.

Instalação 4 Passeio das Virtudes

4-casa_do_senhor

A CASA DO SENHOR X E DA SENHORA Z

Autoria: Patrick Hubmann e Renata Portas 

O Senhor X e a senhora Z são duas personagens inspiradas no casal de “O Jogo das Perguntas Ou Viagem À Terra Sonora”, de Peter Handke. Aqui, movem-se numa casa/palco, onde observamos à lupa a construção de um imaginário que vai beber inspiração ao cinema mudo, ao teatro físico, ao teatro de objetos e ao princípio da imagem.

NOTA: As performances serão apresentadas às 19:30, 22:00 e 23:00 dos dias 24, 25 e 28 de março.

Instalação 5 Vitória

5-manifesto

MANIFESTO DA LUZ

Autoria: João Dias-Oliveira, Nuno Mota, Rossana Ribeiro

Existirá realmente aquilo que não se consegue ver?
Sem a luz não existe perceção da matéria. Pode ser tudo, pode ser nada, pode ser qualquer coisa. A Luz manifesta aqui, silenciosamente, a sua existência. Curiosamente, fá-lo através do fenómeno inverso que só ela é capaz de produzir: a sombra. Ao longo do percurso, dezenas de frases interpelam o passante que se mantenha atento a escutar o que as paredes têm a dizer.

Instalação 6 Rua da Vitória

6-umbra

UMBRA

Autoria: ELAS DUAS (Isabel Bourbon e Cláudia Oliveira)

Umbra é uma reinterpretação dos efeitos luminosos da noite de São João numa instalação interativa que convida ao percurso pela Rua da Vitória. Um corredor de balões iluminados, suspensos, movimenta-se de forma fluída. No chão, projeta-se um jogo de luzes e sombras que interage com os participantes. Umbra convida a reviver os festejos tradicionais, numa experiência noturna que provoca o imaginário dos participantes com um ambiente mágico e poético.

Instalação 6 Rua da Vitória

7-ride

RIDE THE LIGHT

Autoria: João Félix e João Relvas

Ride the Light procura fundir-se com o local, convidando o utilizador a viver e a interagir com o espaço público, através do controlo da luz. Durante o dia assume um carácter passivo, ao desenhar uma teia praticamente invisível sobre quem deambula pelo espaço. É durante a noite que desperta, alimentado pela energia gerada através da interação do Homem com a máquina, iluminando a Rua e quem a partilha.

Instalação 6 Escadas da Vitória

8-yellow

YELLOW SOBREMARINE

Autoria: Pedro Barata

Com um periscópio à escala urbana, a peça revela o que há do outro lado do muro: um enquadramento dos centros históricos de Porto e Gaia ligados pelo Rio, em variação luminosa constante ao longo do dia e noite. A peça foi batizada de Yellow SobreMarine pela parte do Yellow, pela parte do periscópio e por nos levar sobre e não sob as águas do Douro. Sabemos que “SobreMarine” parecerá só “Submarine” dito de forma esquisita, mas os autores gostaram. Tal como de “Francesinia”.

Instalação 6 Escadas da Vitória

9-title

TILE LIGHT

Autoria: DFL, Digital Fabrication Lab (Rodrigo Waihiwe e José Pedro Sousa)

TILE LIGHT é um sistema de membrana suspensa que, em função dos elementos de iluminação presentes num dado espaço, se abre e se deforma para os envolver. Nas Escadas da Vitória, estabelece um plano de cobertura translúcida que tira partido dos dois candeeiros existentes para transformar a sua iluminação e criar uma nova experiência espacial. Esteticamente, inspira-se em azulejos tradicionais das fachadas do Porto para definir a textura da sua superfície luminescente.

ROTEIRO

Roteiro_M_1

Instalação 1
Largo dos Lóios

1-start

START

Autoria: Diogo Aguiar Studio

Start explora a escala urbana e novos enquadramentos sobre o edificado do Largo dos Lóios. É uma peça simultaneamente abstrata e figurativa e a sua formalização resulta da subdivisão geométrica de um icosaedro em vinte partes iguais. No período diurno, Start tira partido do desenho em movimento das sombras projetadas pelos doze braços intersectados pela luz solar e, durante a noite, recorre à luz artificial, branca e estática, para representar uma paisagem congelada, fractal.

Roteiro_M_2
2-eclipse

ECLIPSE

Autoria: FAHR 021.3

Eclipse assume-se como um objeto estranho que interfere com a leitura espacial do Largo Amor de Perdição. A forma de justaposição de tubulares desta peça permite alcançar várias perspetivas sobre a luz através da esfera que apresenta e da textura que a compõe, configurando assim uma nova experiência de espaço público. Durante o dia, Eclipse tira partido da luz natural, e no período noturno recorre à luz difusa, artificial, que pauta a cidade.

Roteiro_M_3

Instalação 3
Passeio das Virtudes

3-gerador

GERADOR DE COMUNIDADE

Autoria: Oficina Galo

A instalação performativa pretende criar um espaço lúdico que promova a interação entre o público, fazendo-o ultrapassar a barreira de espetador. O objetivo comum, plenamente inútil, é dar luz a um pálido lampião que mais se ilumina quanto maior for o número e a intensidade das pedaladas.

Roteiro_M_4

Instalação 4
Passeio das Virtudes

4-casa_do_senhor

A CASA DO SENHOR X E DA SENHORA Z

Autoria: Patrick Hubmann e Renata Portas

O Senhor X e a senhora Z são duas personagens inspiradas no casal de “O Jogo das Perguntas Ou Viagem À Terra Sonora”, de Peter Handke. Aqui, movem-se numa casa/palco, onde observamos à lupa a construção de um imaginário que vai beber inspiração ao cinema mudo, ao teatro físico, ao teatro de objetos e ao princípio da imagem.

NOTA: As performances serão apresentadas às 19:30, 22:00 e 23:00 dos dias 24, 25 e 28 de março.

Roteiro_M_5

Instalação 5
Vitória

5-manifesto

MANIFESTO DA LUZ

Autoria: João Dias-Oliveira, Nuno Mota, Rossana Ribeiro

Existirá realmente aquilo que não se consegue ver?

Sem a luz não existe perceção da matéria. Pode ser tudo, pode ser nada, pode ser qualquer coisa. A Luz manifesta aqui, silenciosamente, a sua existência. Curiosamente, fá-lo através do fenómeno inverso que só ela é capaz de produzir: a sombra. Ao longo do percurso, dezenas de frases interpelam o passante que se mantenha atento a escutar o que as paredes têm a dizer.

Roteiro_M_6

Instalação 6
Rua da Vitória

6-umbra

UMBRA

Autoria: ELAS DUAS (Isabel Bourbon e Cláudia Oliveira)

Umbra é uma reinterpretação dos efeitos luminosos da noite de São João numa instalação interativa que convida ao percurso pela Rua da Vitória. Um corredor de balões iluminados, suspensos, movimenta-se de forma fluída. No chão, projeta-se um jogo de luzes e sombras que interage com os participantes. Umbra convida a reviver os festejos tradicionais, numa experiência noturna que provoca o imaginário dos participantes com um ambiente mágico e poético.

Roteiro_M_7

Instalação 7 Rua da Vitória

7-ride

RIDE THE LIGHT

Autoria: João Félix e João Relvas

Ride the Light procura fundir-se com o local, convidando o utilizador a viver e a interagir com o espaço público, através do controlo da luz. Durante o dia assume um carácter passivo, ao desenhar uma teia praticamente invisível sobre quem deambula pelo espaço. É durante a noite que desperta, alimentado pela energia gerada através da interação do Homem com a máquina, iluminando a Rua e quem a partilha.

m_roteiro1

Instalação 1
Jardim da Cordoaria

KALEIDOTREE

Autoria: Openfield

Kaleidotree recorre ao efeito caleidoscópio para transformar a luz através da sua quebra e com isso criar um ambiente de fantasia. O resultado é uma luz quebrada, dispersa, programada com intensidades, tempos e temperaturas de cor variáveis. Este objeto integra-se nas árvores do Jardim da Cordoaria como um “fruto” que há noite se transforma e ilumina o jardim com magia. Este é um convite à experiência noturna que provoca o imaginário ligado à nossa infância.

Roteiro_M_8

Instalação 8 Escadas da Vitória

8-yellow

YELLOW SOBREMARINE

Autoria: Pedro Barata

Com um periscópio à escala urbana, a peça revela o que há do outro lado do muro: um enquadramento dos centros históricos de Porto e Gaia ligados pelo Rio, em variação luminosa constante ao longo do dia e noite. A peça foi batizada de Yellow SobreMarine pela parte do Yellow, pela parte do periscópio e por nos levar sobre e não sob as águas do Douro. Sabemos que “SobreMarine” parecerá só “Submarine” dito de forma esquisita, mas os autores gostaram. Tal como de “Francesinia”.

Roteiro_M_9

Instalação 9 Escadas da Vitória

9-title

TILE LIGHT

Autoria: DFL, Digital Fabrication Lab (Rodrigo Waihiwe e José Pedro Sousa)

TILE LIGHT é um sistema de membrana suspensa que, em função dos elementos de iluminação presentes num dado espaço, se abre e se deforma para os envolver. Nas Escadas da Vitória, estabelece um plano de cobertura translúcida que tira partido dos dois candeeiros existentes para transformar a sua iluminação e criar uma nova experiência espacial. Esteticamente, inspira-se em azulejos tradicionais das fachadas do Porto para definir a textura da sua superfície luminescente.

OPEN CALL

Os criadores, artistas, inventivos e engenhosos estão convocados a iluminar o património do Centro Histórico do Porto. A luz deverá ser a ferramenta de exploração plástica e simbólica, podendo ser abordada sob as mais diversas óticas. As propostas deverão concretizar instalações físicas, que privilegiem a transformação da visita noturna ao património. O júri vai selecionar os sete melhores projetos que serão financiados em 3.570 euros para a sua concretização e instalação em espaço público.

OPEN CALL

Os criadores, artistas, inventivos e engenhosos estão convocados a iluminar o património do Centro Histórico do Porto. A luz deverá ser a ferramenta de exploração plástica e simbólica, podendo ser abordada sob as mais diversas óticas. As propostas deverão concretizar instalações físicas, que privilegiem a transformação da visita noturna ao património. O júri vai selecionar os sete melhores projetos que serão financiados em 3.570 euros para a sua concretização e instalação em espaço público.

Lançamento da Convocatória

25 de novembro 2016

Data limite de entrega de propostas

30 de dezembro 2016

Anúncio público de resultados

31 de janeiro 2017

Período de instalação

24 a 28 de março 2017

Lançamento da Convocatória

25 de novembro 2016

Data limite de entrega de propostas

30 de dezembro 2016

Anúncio público de resultados

31 de janeiro 2017

Período de instalação

24 e 25 de março 2017
(véspera e dia Nacional dos Centros Históricos)